Chinchilas


Chinchila Mosaico Branco e Cinzento Standard

O que é uma Chinchila

Uma Chinchila é um roedor oriundo das encostas rochosas da Cordilheira dos Andes (Norte da Argentina e Chile e Sul da Bolivia e Peru) e que pode pesar entre 500 e 800 gramas (as fêmeas são geralmente maiores que os machos) .
Pertence à Ordem dos Roedores, Família das Chinchillidae, Género Chinchila, existindo 3 espécies: a Brevicaudata, uma Chinchila maior e muito peluda, com um pêlo mais comprido apesar de ser pouco forte; a Real, que possui as melhores caracteristicas de pêlo, mas é muito nervosa para ser mantida em cativeiro; e a Lanígera, que é a mais conhecida e que se adapta melhor em cativeiro e é usada tanto para produção de pele, como para animais de estimação.

Comportamento

O comportamento das Chinchilas é o que as torna únicas no Reino Animal. São animais nocturnos, o que quer dizer que dormem durante a maior parte do dia e estão despertas à noite. Se tiver uma caixa ou local para as suas Chinchilas dormirem, é muito natural que uma durma lá dentro e outra fique a dormir à porta como se estivesse de guarda. São muito inteligentes e muitas vezes adaptam os seus períodos de descanso com a rotina dos seus donos, quando os donos estão fora, elas dormem, quando chegam elas despertam e começam a querer brincar. Adoram correr, saltar e brincar em todo o sítio e é importante que tenha um momento diário em que as deixa sair da jaula para fazerem exercício. No entanto tenha cuidado com o local onde as solta pois são roedores e podem estragar alguma coisa ou magorem-se por acidente. Uma àrea o mais vazia possível é o ideal. Se não puder tirar as suas Chinchilas com muita frequência, adapte à gaiola uma roda para que façam exercício, mas nada melhor do que as deixar sair um bocadinho todos os dias, tanto para os seus animais como para si, pois cria uma boa relação com elas, que frequentemente gostam da companhia dos donos.
Numa página dos Estados Unidos, vem uma idéia que achei interessante. As chinchilas gostam muito de passas, apesar de não se dever dar mais do que uma por dia. Esse criador, quando solta as suas Chinchilas, dá-lhes sempre uma passa como presente quando elas voltam sozinhas para as gaiolas. E assim habituou os seus animais a irem sozinhos para as gaiolas sem ter que estar a correr atrás deles para os apanhar. Experimente!

 

Um dos hábitos mais divertidos das Chinchilas, são os banhos de areia (que devem de ser diários). São muito divertidos de observar e necessários para um pêlo em boas condições. Nesta foto pode-se ver uma chinchila rolando na areia do banho!

Uma Variedade de Cores

A cor natural das Chinchilas é de um Cinzento azulado. No entanto, existem agora no mercado uma grande variedade de cores: Preto, castanho, mosaico, branco, beige e muitos tons intermédios. Vejamos um pouco sobre cada uma dessas cores:

Cinzento Standard - É a cor original das Chinchilas. É a cor mais comum que pode ir do cinzento mais claro até ao muito escuro. Têm olhos negros e orelhas cinzentas, as patas são quase pretas e a barriga é cinza muito claro, quase branco. Uma chinchila cinzenta com a barriga preta é portadora do gene Ébano.

Veludo Preto - Bob Gunning, um agricultor do estado do Washington nos Estados Unidos da América, possuía, no ano de 1956, uma Chinchila Cinzenta muito estranha, com umas manchas mais negras em redor das dos olhos e na boca. após varios cruzamentos conseguiu aumentar a cor negra para toda a face e depois para a cabeça e costas. A esta nova mutação de cor, deu-se o nome de Gunning Black, mais conhecida por Black Velvet (veludo preto). A cor é negra nas costas e cabeça tornando-se gradualmente mais clara até o cinzento claro na barriga. Os olhos são negros e as orelhas são cinzentas. Não se deve reproduzir dois Chinchilas Veludo Preto porque por efeito de um gene letal, os animais que poderiam sair Veludo Homozigótico podem nascer deficientes ou mortos. Para além disso, estamos a colocar a mãe em risco de vida.

Veludo Castanho - O resultado da criação de um Veludo Preto com um Bege. Uma mutação que provavelmente apareceu no mesmo ano que os Black Velvet. É uma Chinchila que pode ir do Castanho claro até ao castanho escuro. É também caracterizado pelos olhos vermelho escuros e pelas orelhas cor-de-rosa. Tal como os pretos e os brancos, também não é possivel obter crias saudáveis com um casal Veludo Castanho devido ao gene letal.

Ébanos - É uma mutação fácil de reconhecer pois uma Chinchila Ébano é toda da mesma cor incluindo a barriga. Qualquer outra cor que tenha a barriga da mesma cor que o corpo, diz-se que é portadora do factor Ébano.  Podem encontrar-se Ébanos Heterozigóticos (um pouco mais claras), Ébanos homozigóticos (totalmente negro muito escuro e brilhante), Carvão (Ébano com alguns pelinhos cinzentos), Bronze (toda castanha, geralmente consegue-se com o cruzamento de um Ébano homozigotico e um Bege) e o Pastel (resultante do mesmo cruzamento, mas em vez ter ter uma cor tipo chocolate, o animal é todo Bege. Também se poderia chamar de Bege portador de ébano).

Branco Wilson - Foi a primeira mutação importante a aparecer que causou sensação. Em 1955, num rancho do estado de Carolina do Norte, nos Estados Unidos da América, apareceu o primeiro exemplar branco, um macho, criado pelo senhor Wilson (Daí o nome Branco Wilson). De uma Chinchila branca, podem aparecer outras mutações que se resumem à maior ou maior existencia de pêlos cinzentos misturados com os brancos. As Chinchilas Mosaico são brancas com machas cinza e as Prateadas tem uma mistura homogénea de pelos brancos e cinzentos, dando-lhe o aspecto prateado. Estas Chinchilas têm os olhos pretos, as orelhas cinzento claro e todo o corpo incluíndo as patas, da cor branca (com mais ou menos cinzento nos casos Mosaico e prateado). Todas estas variações de branco não podem ser reproduzidas entre si devido à existência do gene letal.

Branco Rosa - Parecida com o Branco acima mencionado, mas com a particularidade de terem os olhos e orelhas vermelhos. Podem aparecer casos em que podem aparecer manchas bege muito claro no branco, e nesse caso é chamado de Mosaico Dourado. Tal como os brancos anteriores, a reprodução entre dois indíviduos de cor branca ou derivados é desaconselhada.

Bege Heterozigótico - Foi outra mutação importante que apareceu pela primeira vez em Setembro de 1955 num rancho de Oregon, nos Estados unidos da América. O pêlo é de um creme brilhante, com olhos vermelhos, orelhas cor-de-rosa e patas e barriga brancas

Bege Homozigótico - Muito semelhante ao Bege Heterozigótico, mas com um pêlo mais brilhante e com a cor dos olhos de um rosa pálido com a íris branca. Note-se que o Bege homozigótico tem dois genes dominantes, ao contrário do Heterozigótico que tem um dominante e um recessivo. Esta mutação Bege é muito mais rara que a anterior.

Existem ainda outras mutações recessivas que são mais raras e que aparecem de vez em quando:

Safira - De um tom cinzento azulado escuro.

Violeta - Nascidas pela primeira vez em 1960 na Rodésia, África. Com um cinza muito claro misturado com púrpura também muito claro com a barriga branca. Todos os Violetas são homozigóticos. Os cruzamentos de Violetas com outras cores diferentes resultam animais que ficam portadores do gene violeta.

CRIAÇÃO DE CHINCHILAS

Se possui um casal de Chinchilas, não é muito dificil obter crias. No entanto, para que tanto as crias como os pais sejam animais saudáveis, é bom ter em conta alguns pontos.

Se as suas Chinchilas são muito novas, convém não deixar que se reproduzam muito cedo, pois iria alterar o crescimento dos animais (tanto dos pais como das crias). As Chinchilas podem entrar num periodo de cio apartir dos quatro meses de idade. Geralmente as Chinchilas entram no cio todos os meses. Para que as suas Chinchilas não se reproduzam cedo demais pode separar o macho da fêmea, mas por vezes é dificil, especialmente se só tem um casal e se vê que eles gostam da companhia um do outro. Arranje esconderijos na gaiola para que a fêmea possa escapar às investidas amorosas do macho, uma caixa de dormir, um tubo de plástico suficientemente grande para que as Chinchilas lá possam dormir são algumas opções.

É muito dificil ver quando as fêmeas são fecundadas ou adivinhar quando estão grávidas. Geralmente, quando se vê o macho a tentar acasalar com a fêmea, pode-se tomar em atenção pois a fêmea geralmente deita uma substancia gelatinosa (tampão ceroso) com cerca de 1,5 cm. Se tiver poucos animais pode controlar o peso das fêmeas e assim desconfiar da sua gravidez.

Acontece por vezes as fêmeas se zangarem com os machos quando estão grávidas. Eles perseguem as fêmeas e elas voltam-se contra eles. Se verificar que as relações entre o seu casal já não são as mesmas e se há brigas frequentes sem razão aparente, mais vale separar o macho da fêmea pois algum deles pode ficar ferido.

O periodo de gestação é de 111 dias podendo ser um pouco mais e as crias nascem já cobertas de pêlo e com os olhos abertos, a querer andar por tudo o que é sitio. Antes do nascimento há alguns preparativos que deve ter em conta:

  • Se a gaiola tiver o fundo de arame, este deve de ser coberto com cartão ou jornais e aparas de madeira para que as crias não enfiem uma patita nos buracos da rede e se magoem.
  • Todos os brinquedos (rodas, tubos, etc.) e escadas que dêem acesso a outros niveis das gaiolas devem ser retirados pois podem magoar os bébés. As fêmeas devem ficar no piso térreo para que não andem a saltar podendo ferir os filhotes.
  • Se as fêmeas já tiveram outras ninhadas num curto espaço de tempo, os machos devem de ser retirados antes do parto pois a fêmea entra no cio novamente logo após o parto e é muito desgastante para a fêmea estar a criar filhotes e novamente grávida. O macho deve ser colocado numa gaiola ao lado da da fêmea de modo a que se vejam e pode ser reintroduzido na gaiola 1 semana após o parto.
  • Devem ser dados à fêmea, na semana antes do parto, um granulado de vitaminas e Alfalfa  para aumentar as reservas de cálcio e para que a fêmea comece a produzir leite para os seus filhotes.
  • Na última semana de gravidez deve-se também ter muita comida disponível para a fêmea e, se se notar prisão de ventre, pode-se dar mais algumas passas do que é habitual para regular os intestinos.

As ninhadas podem ir até às quatro crias, mas o normal é de 2 filhotes. Como já disse anteriormente, as crias começam logo a andar e são muito curiosas por isso devem de ser vigiados. Se se notar que as crias brigam constantemente, é porque a mãe não tem leite suficiente. Deve de estar preparado para as alimentar à mão, nem que seja só algumas vezes por dia para que consigam comer e crescer saudáveis. Convém vigiar o peso das crias durante o seu crescimento.

Com cerca de 6 semanas as suas crias deverão já alimentar-se sozinhas, no entanto deve deixá-las com os pais até às 8 semanas para ter a certeza que já são totalmente independentes.

Æ Dados Históricos importantes:

1524 – Descoberta das Chinchilas pelos espanhóis. A Rainha Isabella de       Espanha  recebe um manto de pele de chinchila e inicia uma moda na corte.

1591 – Data do primeiro documento escrito que menciona as chinchilas, da autoria de Josef de Acosta.

1829 – A Primeira Chinchila chega ao Zoo de Londres. Este exemplar é o primeiro a ser mantido em cativeiro em todo o mundo

1910 – A Bolívia, o Chile, Argentina e Peru decidem fazer uma restrição à captura de Chinchilas para o comércio de peles a fim de evitar a sua extinção.

1923 – Com 11 exemplares, o Sr. Chapman inicia a criação de chinchilas em cativeiro em quintas próprias onde experimenta vários tipos de gaiolas e ninhos de modo a manter as chinchilas nas melhores condições.

1936 – É criada a primeira Associação de criadores de Chinchilas no Utah, EUA.

1954 – Aparece a primeira mutação no estado de Nova Iorque – o Bege recessivo.

1955 – No rancho do Sr. Blythe Wilson aparece a primeira mutação dominante, uma chinchila Branca – o Branco Wilson.

Aparece também o primeiro Bege dominante no Oregon, EUA.

1960 – Na Rodésia aparece a primeira Violeta e é vendida para os EUA.

1961 – O primeiro Veludo Preto (ou Preto Gunning) é apresentado no estado de Washington pelo sr. Gunning.

1963 – O Sr. Larson apresenta a primeira mutação Safira.

Anos 80 – Nos estados Unidos, Canada e alguns países da Europa a Chinchila é cada vez mais conhecida como animal de companhia.

2001 – É criado o Clube Chinchila Portugal e é iniciada a divulgação da Chinchila como animal de estimação em Portugal.

bestessays au